O FOCO DA OPERAÇÃO VERÃO 2014 SERÁ A DESTINAÇÃO DO LIXO SÓLIDO

Notícias por RSS Compartilhar no Facebook Postado por Assessoria, em 29/08/2013, às 18:08, na categoria Direito Ambiental,Diversos,Legislação,Meio Ambiente

Nem esporte, nem saúde, nem segurança. O Governo do Paraná anuncia que o foco da próxima Operação Verão será a “destinação correta dos resíduos sólidos urbanos e marinhos”. Pelo menos é o que diz o secretário do Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida.

Mudanças na Operação Verão

No verão de 2011, ao assumir o governo, Beto Richa manteve as atividades de esporte, cultura e lazer nas praias que haviam sido iniciadas pelo governo anterior. No ano seguinte, estas ações foram canceladas e o foco foi o reforço no policiamento e no atendimento de saúde.

Durante os sete verões do governo de Roberto Requião e no verão iniciado por Orlando Pessuti, a parte mais visível da operação verão era a atividade esportiva e de lazer nas praias. Um batalhão de professores e estudantes de educação física animavam os turistas. Oficinas de surf, bodyboarding, vôlei e futebol promovido em conjunto com ONGs e prefeituras atraiam as crianças e inclusive moradores locais. Também eram realizadas apresentações de teatro e música, além de oficinas de arte. Nos últimos anos, as atividades culturais chegavam a alguns bairros e comunidades afastadas.

As principais queixas dos moradores, sobretudo dos empresários, eram motivadas pela eficiência das ações governamentais. Eles reclamavam do que consideravam “rigor excessivo” do policiamento contra veículos estacionados de forma irregular, motoristas sem cinto de segurança etc. Também havia queixas contra a repressão ao som alto e contra a orientação aos banhistas sobre locais impróprios ao banho. Para muitos empresários, a divulgação dos índices de balneabilidade “espantava os turistas”.

Havia uma ineficiência crônica dos governos anteriores que foi melhorada no atual governo: a coleta de lixo. Nos últimos anos, o governo aumentou os recursos destinados às empresas do setor e ampliou a limpeza das areias.

Na saúde, o atendimento vem melhorando aos poucos a cada ano, principalmente em Guaratuba, onde a estrutura da prefeitura aumentou, inclusive com a criação de um hospital municipal no verão de 2011/2012. Em Matinhos, o governo tornou o hospital municipal Nossa Senhora de Navegantes o centro dos atendimentos de emergências.

Na cultura, a única atividade mantida pelo atual governo – e ampliada – foi às bibliotecas nas areias. Teatro, música e oficinas foram cancelados. O esporte se limitou às ações das prefeituras e às parcerias com empresas privadas, que pelo menos em Guaratuba, supriu a ausência do governo estadual.

A ampliação das redes de esgoto preparadas pelos governos anteriores e iniciadas no atual em Guaratuba, reduziram as queixas sobre a informação de locais impróprios ao banho. Em Matinhos e Pontal, as obras – que serão feitas por uma empresa privada – ainda não começaram.

Lixo marinho e urbano

Nesta terça-feira (20), a agência oficial de notícias do governo anuncia: “Operação Verão irá focar coleta e destinação do lixo marinho e urbano”. A informação foi dada pelo secretário Cheida durante a I Conferência sobre Lixo Marinho realizada nesta terça-feira (20), na igreja Nossa Senhora do Rosário, em Paranaguá.

Segundo o governo, a conferência reuniu cerca de 400 pessoas, entre moradores dos sete municípios do litoral paranaense, incluindo os de 15 ilhas da região. “Eles apresentaram propostas para a coleta e destinações do lixo urbano e marinho”, diz a Agência de Notícias do Paraná (ANPR).

“Vamos trabalhar de maneira conjunta para fazer com que os municípios deem continuidade às ações de educação ambiental, logística reversa, coleta e destinação do lixo durante o ano todo”, disse Cheida.

Ele ressaltou que a geração de lixo durante a temporada de verão cresce cerca de 10% a cada ano e que o problema acúmulo de lixo nas ilhas precisa ser solucionado. “Há a necessidade de mudarmos radicalmente a administração das ilhas no que se refere à questão da retirada de resíduos. Não é possível produzir lixo e acumular o meio ambiente até a próxima operação verão”, afirmou Cheida.

A Secretaria do Meio Ambiente, Instituto das Águas e Instituto Ambiental do Paraná estão trabalhando para que o lixo seja retirado das ilhas de forma periódica, assim como acontece no continente. Em janeiro de 2012 foram retiradas 25 toneladas de lixo da Ilha das Peças e Superagui que estavam acumuladas há dois anos.

ORIGEM DO LIXO – O oceanógrafo Paulo Fernando Garreta Harkot, mestre em saúde pública e epidemiologia e coordenador do Projeto Lixo Marinho em Santos, disse que 80% do lixo encontrado no mar são gerados em terra. Ou seja, pelas pessoas nas cidades. “Apenas 20% do lixo encontrado no mar é oriundo de navios, atividades pesqueiras e petrolíferas. O lixo que hoje está nas ruas, amanhã pode estar no mar”, destacou o oceanógrafo.

CONFERÊNCIA – O coordenador de educação ambiental da Secretaria do Meio Ambiente, Paulo Roberto Castella, explica que o objetivo da Conferência é encontrar alternativas para solucionar o problema do lixo marinho e também colocar o assunto na pauta nacional. “As propostas da Conferência Livre sobre Lixo Marinho serão encaminhadas pelo Paraná à Conferência Nacional do Meio Ambiente”, reforça Castella.

Com informações do Sema / ANPR

Foto: Denis Ferreira Netto / Sema

Fonte: http://www.adeanewsletter.com/nem-esporte-nem-saude-nem-seguranca-foco-da-operacao-verao-sera-o-lixo/#more-2383

Acesso em 29/08/2013.

Deixe seu Comentário